domingo, 26 de agosto de 2012

Pois é...

Antes de começar a escrever esse post, pensei: vou dar uma passada lá, escrever que tô cansadona, que estou trabalhando pra caramba, que o bicho tá pegando, que eu preciso descansar e bla, blá, bla....vinha choramingar mesmo.

Antes disso,   tava dando uma espiada no facebook de uma conhecida, que tem uns 34 anos e há uns meses se descobriu com câncer. Ela sempre narrou o tratamento com humor e eu via naquelas palavras uma força tremenda. Há duas semanas ela iniciou as quimios e rádios finais. Estava super esperançosa, feliz por estar terminando o tratamento.

Hoje postou uma foto de dentro do hospital. Começou a ter uma febre contínua  e teve que correr de novo pra Curitiba, onde faz o tratamento. A legenda dizia: "que medo `idiota`de viver! Insegura!!

Pois é, e eu? O que dizer mais?  reclamar que estou cansada? choramingar por que estou trabalhando pra caramba? Me permitir também ter medo de viver?

Não dá né? tenho mais é que agradecer a Deus pela minha saúde, pelo meu trabalho e pela força e determinação diária que ele me concede.

Semana de paz e graça pra quem lê.

domingo, 19 de agosto de 2012

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Fruto da imaginação...

Dia desses me disseram que eu estava inventando "histórias". Dentro do contexto no qual isso foi mencionado, eu deveria me ofender, afinal a pessoa estava duvidando daquilo que eu dizia. Mas sabe, eu encarei como um elogio. Vivo de escrever, vivo de contar histórias, mas posso assegurar: elas são reais.
................

E por falar nisso, em cidade do interior as senhoras da igreja passam nas casas pedindo prendas para a festa da comunidade. Dia desses, cheguei no meu cafofo flat e minha campainha tocou. Eram duas simpáticas senhoras da comunidade católica do meu bairro. Quando abri a porta elas disseram: -ah, vc não é católica né?

Eu confirmei, mas pedi se eu podia ajudá-las mesmo assim.

É que estamos precisando de prendas , ingredientes pra feira de bolos e cucas que vamos fazer no fim de semana. Se vc puder ajudar....

Ah, tá..só um minutinho, vou ver o que tenho aqui. Respondi.  Abri armários geladeira e o escambau. Nada, nadinha de nada. Nem um mísero pacote de açúcar, eu tinha para doar.

Voltei pra elas, envergonhada e disse, senhoras, não cozinho em casa e parece brincadeira, mas não tenho nada aqui para doar (momento constrangedor).

As duas se entreolharam, deram uma risadinha e disseram que não havia problema. Mas eu desconfio que elas também acharam que eu estava inventando história..heheheh
........................