terça-feira, 31 de julho de 2012

Sentimentos são pássaros em voo...

“Somos donos dos nossos atos, mas não somos donos dos nossos sentimentos. Somos culpados pelo que fazemos, mas não somos culpados pelo que sentimos. Podemos prometer atos, mas não podemos prometer sentimentos… Atos são pássaros engaiolados; sentimentos são pássaros em voo.”
Mário Quintana

Ps: E é assim, tentando aprender que sentimentos são pássaro em voo, que sigo. Um dia após o outro tentando driblar a febre de ter controle sobre cada segundo da minha vidinha. Para uma pessoa como eu, esse é um trabalho hercúleo, podem acreditar!

domingo, 29 de julho de 2012

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Bicho papão...


Talvez seja exatamente pela concepção relatada por Nietzsche que a solidão não me amedronta ou me deixa triste. Pelo contrário, gosto muito da solidão. Ela combina com minha introspectividade e com a falta de paciência que tenho com gente que não tem nada além da presença física para oferecer.

Dia desses, durante uma conversa, eu lamentava o fim de semana solitário que eu havia acabado de viver. Eu sei, parece contraditório eu dizer que gosto da solidão e ao mesmo tempo reclamar dela. Mas tudo tem uma explicação.

Eu gosto da solidão de modo geral, acho que me acostumei com ela. É no silêncio e na reclusão que meus pensamentos borbulham e que traço os caminhos que vou cruzar/percorrer. Por outro lado, estar privada da presença de verdadeiras companhias, de gente que amo e que fazem a diferença na minha, ah, isso dói viu. Dói pra "carvalho".

Por que estou escrevendo isso? 
Bem, porque é sexta-feira e é no fim de semana que a solidão se transforma em bicho papão!

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Mulher de fases...

"Alegre era a gente viver devagarinho, miudinho, não se importando demais com coisa nenhuma. Felicidade se acha é só em horinhas de descuido." 
 Guimarães Rosa


 Os cabelos curtos adotados na era balzaquiana já tinham feito parte da minha vida na infância.  

quarta-feira, 25 de julho de 2012

O que o futuro me reservou...


Essa foto foi tirada em 1982. A pequena Silvia tinha acabado de entrar na primeira série do Colégio Estadual Princesa Izabel, lá em Marilena. Pode parecer estranho, mas hoje, fuçando aqui nos meus arquivos me deparei com ela e imediatamente um flash back dos dias em que a escola inteira se movimentava para fazê-las veio à minha mente. Parece que foi ontem, mas 30 anos já se passaram.

Eu, bicho do mato que só (perceba minha cara amigável), odiava essa atividade. Primeiro porque era tímida e morria de vergonha de posar para a foto e também porque depois tinha que implorar para meus pais comprarem o retrato ( ô pobreza..heheh).

Me olhando aí toda arrumadinha, com a franja torta, apenas um brinco na orelha e um anel de sorvete seco no dedo mindinho, senti  um aperto no peito. Eu era feliz, mas a introspectividade já me acompanhava. Essa menininha aí já tinha uma cabeça cheia de pensamentos. Gostava da escola, gostava de escrever. Tinha notas excelentes. Admirava a professora e queria ser como ela. Tanto que o primeiro vestibular foi para pedagogia.

O sonho de ensinar não vingou, mas o gosto  pela escrita perdurou e cá estou eu. Rabiscando diariamente a vida que o futuro me reservou.

terça-feira, 24 de julho de 2012

Vire-se e revire-se...

.ɐɯıɔ ɐɹɐd ɐçǝqɐɔ ǝp ɹǝʌıʌ ɐ ɹǝpuǝɹdɐ soɯɐssod ǝnb ɐɹɐd ' oxıɐq ɐɹɐd ɐçǝqɐɔ ǝp ɐpɐɔoloɔ é ɐpıʌ ɐssou 'sǝzǝʌ sɐ...

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Partir ou não...


Fala verdade, tem momentos na vida da gente que a responsabilidade sob nossos atos é tremendamente pesada. Queremos ter controle das nossas decisões, mas às vezes, optar por um caminho ou por outro, dá nó nos neurônios e nos põe a questionar esse tal livre arbítrio...

Tu fica alí, horas, dias, maquinando qual será o melhor caminho, qual será a decisão mais acertada, afinal a escolha poderá transformar tua vida. Tem um certo tempo que você pondera, analisa sob todos os ângulos e crê que chegou a uma conclusão. Mas basta um piscar de olhos, um desvio despretensioso da decisão, que tudo volta a estaca zero.

Será que só eu sou assim diante de decisões importantes? 

sábado, 21 de julho de 2012

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Mutação...

Era final julho de 2005. Fazia muito frio, mas eu pouco me importei com a temperatura. Queria mesmo era recomeçar minha vida profissional. Depois de nove anos em Joaçaba, era hora de partir. Com a ajuda do noivo escolhi minha nova morada, na nova cidade que ira me acolher: Videira.

Não sofri por deixar Joaçaba . Não sofri porque o noivo continuaria morando lá e eu cá. Estava feliz e determinada a enfrentar a nova cidade e o novo trabalho. Escolhi cada detalhe da nova casa que seria só minha. Comprei móveis novos, utensílios domésticos, objetos de decoração. Arrumei meu cantinho e fui feliz com as visitas semanais do meu amor, na época.

Também amei meu novo  trabalho e passei a construir aqui na Capital da Uva, novos capítulos da minha história. Desde então, alguns anos se passaram. Nessa semana, o ciclo de sete anos se completa. Dos 30 anos pulei para os 37. É um tempo considerável. Nesse período o noivado acabou e o amor se dissipou. Nunca mais o encontrei e creio que também não o tenha procurado com a atenção que ele merece.

Engana-se quem pensa que por conta disso fui infeliz. Muito pelo contrário. Conheci muita gente bacana. Me enamorei. Fiz amigos. Mudei novamente de emprego.Cresci profissionalmente. Estudei. Sofri de saudades da minha família que mora longe. Mas estou mais madura. Estou feliz.

O futuro será aqui? Bah! Não me façam pergunta difícil. A única certeza que tenho é que eu gostaria de estar mais perto dos meus e principalmente que sei que  Deus está no controle de tudo. E Ele só vai me levar para onde eu mereça.


quinta-feira, 19 de julho de 2012

Fragilidade....

É incrível o que  a omissão e a traição da confiança podem causar nas relações que a gente mantém né?
Nos últimos tempos, tento com todas as minhas forças relevar  a atitude, que uma pessoa por quem eu nutria grande carinho e admiração, manteve comigo...

Meu racional tenta contemporizar a postura que a pessoa adotou, mas meu emocional não assimila, não admite, não compreende. Vivo uma briga interna. Penso nisso, porque desfazer aquele laço me entristeceu. 
Não é raiva. Parece mágoa, mas não posso afirmar. É um sentimento estranho. Desejo que a pessoa esteja bem e em paz. Mas não a quero perto de mim. Nem por fios digitais. Eis a fragilidade que os acontecimentos nos impõem.

domingo, 15 de julho de 2012

Fragmentos...

De olho no lance...ops..na torta holandesa.
Fim de semana bem mais ou menos. Típico de gente solteira que mora em uma cidade super fria. Hibernando. No sábado ainda fui na Rosana, comer polenta com molho de galinha e torta holandesa da dona Raquel. Hoje,acordei cedo para medicar meu cat e a mim também já que amanheci com uma cólica fenomenal. Voltei pra cama, saí de lá passado das 13 horas. 

Não fiz almoço. Joguei um colchão na sala. Assisti dois romances. Chorei. Chorei mais um pouco ao ver fotos dos meus avós no facebook da tia Dione. Assisti a reprise do Altas Horas e decidi que quero um DVD do Juanes. Arrumei o guarda roupas numa preguiça lascada. Levei um arranhão do Constantino que já não suporta tantos medicamentos. Pensei na vida. Pensei no futuro e um pouco no passado. Pensei que isso poderá ser assunto do próximo encontro da terapia.

Pensei nas cobranças que nos impõem. Pensei que agora, além de me cobrarem por não ter casado, estão me botando uma pressão pelo fato de eu não ter filhos. Pensei que as pessoas pensam que eu não  penso. Elas não pensam que eu faço escolhas e que certas ou erradas elas devem ser respeitadas.

Pensei, pensei. Pouco agi, mas também pensei sobre isso.

sábado, 14 de julho de 2012

Entrei bagaço, saí laranja...


Homens jamais entenderão, mas um salão de beleza, uma loja de cosméticos, uma perfumaria ou uma loja de bolsas e sapatos tem poder terapêutico sobre as mulheres. Ontem, depois de acumular duas noites mal dormidas por causa do Constantino, uns 20 dias sem fazer as unhas do pé e um mês sem cortar os cabelos, cheguei ao salão que era um bagaço.

Bastaram alguns minutos e o milagre se fez. Me transformei em uma suculenta laranja, daquelas tipo baiana,que dão água na boca (auto estima é tudo nessa vida..hehe).

Coisa linda ter as unhas bem feitas e para quem, assim como eu, usa cabelos curtos, um mês é o tempo máximo sem apará-los. Para completar o ciclo da alegria, nem fiquei triste em investir uma garoupa na aquisição de novas maquiagens.

O que doeu mesmo foi os 40 pilas que também tive que investir na aquisição de um balde, uma vassoura e uns produtos de limpeza que a Elite, que limpa aqui em casa, me pediu. Onde já se viu. Poderia ter comprado mais umas maquiagens com essa grana...heheh

quarta-feira, 11 de julho de 2012

terça-feira, 10 de julho de 2012

Dodói...

Constantino fotografado por Rafa Nordio...
Há alguns dias Constantino começou a espirrar, achei engraçado e não dei muita bola. Ontem, porém, ao chegar em casa no início da noite, encontrei meu bichano com a respiração super ofegante e com  bastante dificuldade para respirar...

Os espirros antes esporádicos estavam mais frequentes e o narizinho estava escorrendo... chamei a Pati, a veterinária que cuida dele... diagnóstico: meu baby está gripado. Tomou injeção e mal dormiu a noite. Espirrou e choramingou horrores.

E eu? Bem, eu fico com vontade de chorar o tempo inteiro....é mole? 

sábado, 7 de julho de 2012

Alma de menina...

Não tenho dúvida que os últimos tempos tem sido de reconhecimento pessoal, para mim..... há alguns anos, dois ou três talvez, tenho mergulhado tão fundo na minha essência, que às vezes tenho a sensação de que saio do meu corpo e passeio pelo meu passado.....caminho pelas estradas da minha história, na alma da menina Silvia, encardida do sol, cabelos escorridos....meus pés estão descalços, sujos da terra vermelha da minha infância......minha timidez é tão grande e meu medo ganha as mesmas dimensões..... 

A viagem às vezes é prazerosa, cheia da dor indescrítivel da saudade, mas tem momentos que é dolorida...tão dolorida que a dor transcende a alma e ganha força na carne..... Com o tempo, talvez eu amadureça todas essas vivências do redescobrimento e consiga traduzí-las em palavras....no momento, o que me basta é sentí-las, interpretá-las e torcer para compreendê-las.....

Isso, acreditem, é um trabalho psicológico subliminar...... uma prática que até então, eu subestimava, mas que agora, não tenho dúvida, pode causar grandes transformações na vida da gente....

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Os trilhos da vida...


Acontece de a vida sair dos trilhos, apesar de sua vontade ser outra. Se você  fosse a regente do universo, nunca faltariam trilhos, tudo teria uma rota e um norte. Mas a vida é uma danada que agarra com unhas e dentes o controle. A vida manda na gente; a gente não manda na vida.
Você passou tanto tempo colocando seu comprometimento e vontade em projetos que não vingaram que fica sem saber o que desejar. E o que se faz com o medo de perder ainda mais tempo? E se, de fato, você não pode ir muito mais longe do que já foi? E se é só isso mesmo? E se você tiver que se salvar de mais um descarrilamento? E se dessa vez for ainda pior?

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Constatações...

Sabe qual o problema de se fazer de forte o tempo todo?
De liderar com pulso firme e de se manter ereta mesmo que o peso seja quase insuportável?
É que as pessoas acabam esquecendo que você também tem sentimentos...
(CS)

quarta-feira, 4 de julho de 2012

Vida que segue e se transforma...

Parece que foi ontem que aguardávamos sua chegada neste mundo.... era junho de 1990, mas não fazia frio lá em Marilena. Na véspera, do seu nascimento, sua mãe, com o jeitinho delicado de tratar assuntos íntimos, quis me mostrar que já tinha dilatação. hehehe


Estávamos na sala da antiga casa de madeira, na Rua Santos. Eu, ainda adolescente, nunca me esqueci daquela cena. Para mim, o assunto sexo ainda era visto com pudor, mas sua mãe me fez ver de "onde" vc sairia..hehehe


Tenho a impressão que também foi outro dia que eu cuidava de ti lá em Marilena....Tu ainda era um bebê e ficou morando com a gente...naquela época eu te banhava, penteava e tinha orgulho de te exibir pelas ruas da cidade... você era uma boneca...


Se fechar os olhos ainda posso ver a gente morando em Curitiba, no apartamento da Rua Portugal.... vez ou outra ia te buscar na escolinha. O uniforme azul combinava com seus olhos né?


E as férias em Marilena? tu com os joelhos arrebentados achando que tudo era "muita besteirada"....heheh
E o que dizer da tua ida pra universidade? Tive tanto orgulho!
 Fiz questão de estar junto quando foste conhecer a UEPG e a república que ias morar..


Quatro anos depois pensei cá com meus botões: se fui levar, também tenho que ir buscá-la... e lá estava a tia Silvia na platéia da sua formatura com o peito cheio de felicidade e orgulho...


Pois é dona Mayara...depois de vivermos tantas coisas, você vem, na maior calma e alegria, me dizer que vai casar? Tsc, tsc...não se faz isso......é muita "trairagem" casar antes da sua tia....hauhauahuaha

Contando os dias para a chegada de setembro de 2013...

segunda-feira, 2 de julho de 2012

Carência...

Tô precisando de carinho!
Hotel carinho, casaco carinho, anel carinho, sapato carinho...