quarta-feira, 16 de maio de 2012

Quem dera...

Por minha própria iniciativa já penso demais, avalio demais, julgo demais, faço conjecturas mil...
Por uma força incontrolável eu sofro demais...sofro por coisas que já deviam ter sido superadas, ou pelo menos deveriam ter sido guardadas em local que eu esquecesse onde guardei a chave e nunca mais mexesse...

Mas eu não sou assim...já tentei amenizar isso, esquecer, anular...mas não posso....há memórias que me visitam, trazem à tona mágoas latentes, apenas adormecidas...

É duro, bem duro encará-las de frente, peitá-las...olhá-las nos olhos e me impor, me fazer respeitar...

E quem dera eu estivesse falando de um caso amoroso, de algum namorado que passou pela minha vida e não permaneceu...quem dera fosse simples assim....só isso...

Quem dera  a cabeça da gente fosse uma máquina racional...quem dera a minha se desligasse um pouquinho, os pensamentos adormecessem...quem dera...

3 comentários:

  1. Renato Fieldmann17 de maio de 2012 13:37

    Silvinha, como dissestes, a viagem é com passagem só de ida...uma vez que iniciaste este processo de desvendar-se e de compreender-se, voltar atrás é impossível. Você já sabe demais, não ignora certas coisas...

    Força, minha querida, força...

    Conte comigo.

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  2. Nêga linda do meu coração, eu amo vc, então se precisar é só berrarrrrrrrrrr....

    Cuide-se, preserve-se.

    Bjka

    ResponderExcluir
  3. Ai, vcs dois matam essa boca aberta aqui....saudades, meus queridos....muitas..quando vai rolar um cafezinho no Box em Jba?

    ResponderExcluir

Reflete aí comigo vai...