sexta-feira, 5 de julho de 2013

Inspiração...

Como você tem agido na sua vida? Em todos os sentidos. Os pessoais, os profissionais e os interpessoais?
Essas são perguntas que tem me tirado o sono nos últimos tempos, porque tenho uma certeza muito grande que Deus não me criou para ser apenas a Silvia que venho sendo. Certamente Ele espera mais de mim, afinal me fez única. Não há nenhuma outra criatura, na face da terra, que seja igual a mim. Então, será que os rumos que eu tenho dado pra minha vida são dignos do direito de "personalização" que Deus me deu?

Sinceramente, eu acredito estar muito aquém das expectativas que Deus tem comigo. E não falo em fazer a diferença no universo e receber o Nobel da Paz. Não, não é nada disso. É fazer a diferença no meu contexto. No contexto que me abriga. Já houve um tempo em que eu queria passar despercebida. Queria ficar escondidinha. E assim fiquei. Mas ser morna é muito frustrante. Quero ser fogo. Labareda. Servir de inspiração. Não como modelo de algo, porque cada um carrega sua singularidade. Mas tem pessoas que nos inspiram. Pessoas que exalam o perfume da fé e da vida em sua plenitude, com dores e alegrias.

Para trilhar esse caminho, eu já sei que
é preciso ter dedicação, serenidade, mansidão. É preciso ter consciência que há conseqüências na vida que não têm volta. Há planos que não podem ser refeitos. Há sonhos que não podem ser sonhados novamente. Há perdas que não têm restituição. Há prejuízos sem volta e há oportunidades que são perdidas para sempre. 

2 comentários:

  1. Renato Fieldemann9 de julho de 2013 09:27

    Silvinha, minha cara, um dia de cada vez e cada dia melhor. Um beijãozão.

    ResponderExcluir
  2. Dicotomia sempre presente em mim também. A vida é feita de fases, mas parece que a gente nunca está na fase que quer estar naquele momento.

    ResponderExcluir

Reflete aí comigo vai...